15 Dicas para uma carona de sucesso: Fala o motorista.

É fácil ouvir os conselhos de milhares de viajante que viajam a dedo, mas poucas vezes ouvimos o que tem a dizer o motorista. Aquele amigo motorista que vai para a rota e decide se levar ou não a esse mochileiro perdido o caminho. Anteriormente nós mostramos como fazer carona. Hoje deixamos 15 dicas por alguém que costuma levantar turistas de mochila às costas na rota.


Escrito por Kleiman:


DICAS PARA FAZER DEDO DE ALGUÉM QUE COSTUMA LEVANTAR “DEDEROS”


“Não preciso de razões para sair da rota. Faço-o porque tenho que ir a algum lado, ou porque eu não tenho que ir a lado nenhum, vou com um destino fixo, ou sem destino, apenas pelo simples fato de viajar. Com isso esclarecido, eu costumo levantar pessoas que há dedo, e fazendo uma espécie de auto-análise sobre por que às vezes, paro para levantar a alguém, outras vezes continuo de comprimento e outras acelero, cheguei a algumas conclusões que, talvez, lhes sejam úteis na hora de fazer a dedo, vista do “outro lado”.


Antes de passar as dicas pensem o seguinte. Normalmente, a decisão de parar para apanhar ou não é tomada em poucos segundos; às vezes, em menos de um segundo. Então você tem poucas chances de aproveitar esse instante. Aqui algumas sugestões. Talvez com os caminhões é diferente, não sei porque não utilização de um caminhão. Controlando um carro.


1. Se não posso te ver a cara, não se subo. Ponto. Então, quando passar um auto tratá fazer contato visual com o motorista. Nada de capuzes, bonés, etc., Preciso de te ver a cara e a confiar imediatamente em você. Um sorriso ajuda muito, como um gesto simpático.


2. Um cartaz com o seu destino, ajuda muito. Primeiro, porque, provavelmente, consulte o cartaz antes que vos então já captaste a minha atenção. Recomendo que os destinos não sejam muito longe de onde você está. Por exemplo, se você vai para as Cataratas do Iguaçu e está em Zárate, não coloque “Iguaçu”. Coloque “este artigo”, por exemplo. Qual a razão disso? Supondo que você suba, não sei se vai me cair bem o suficiente para bancarte uma viagem de mais de 1000 km, Talvez, 200 km pode “tolerarte”. Depois, em conversa, por aí surja a melhor onda e leve-o até o Rio de Janeiro se é que você quer continuar a subir. Mas você vai vê-lo. Também pode ser uma boa ideia, como eu li esses dias que lhe propôs o tio, a alguém, além de seu destino, você pode colocar algo como “Isca bons matte”. Com isso já me apaixonou, se não bem, pelo menos melhor.


3. Viajá com sua mochila, mas não te mudes. Se llevás sua mochila e seu corpo porque ele é seu fiel companheiro de aventuras, me deixa muito feliz que você encontrou um amigo que te banque em todas, mas vai complicar um pouco isso de fazer dedo…


4. Se se levantam, seja boa onda, simpático e gentil, mas não muito confianzudo, pelo menos até que a conversa, talvez, levá-lo a tomar confiança.


5. Tenha um aspecto limpo e arrumado. Há uma grande diferença entre estar sujo pela viagem e ser sujo. E essa diferença se nota à primeira vista. Não quero ter que lavar meu carro em Lysoform quando você descer, ou, pior ainda, banhar-vos em Lysoform quando você faz o upload.


6. Um “oi” seguido de um “muito obrigado” é um bom início de conversa.


7. Se há três horas que você está parado à beira do caminho, ninguém subiu e está com um mau humor que assusta até hipopótamos no zelo, não é minha culpa. Eu acabei de ver. Se você me der a volta ou hacés um gesto desganado ou algo assim, não só que eu não vou parar, mas que, provavelmente, considere seriamente a possibilidade de passar por cima.


8. Quando um carro não se para, instantaneamente, se o motorista teve alguma mínima dúvida, provavelmente você continue olhando pelo espelho retrovisor. Faça um gesto gentil, como um chau com as mãos, uma boa viagem que se possa ler em seus lábios. Provavelmente chave dos freios e volte para buscá-lo.


9. Se se levantam, o motorista tem que parar no caminho para carregar nafta e depois lhe diz que vai um minuto ao banheiro, bajá imediatamente do automóvel. É um gesto de consideração já que evita que o motorista tema por suas coisas. Ainda não há tanta confiança.


10. Dificilmente suba a mais de dois. Três é quase impensável, a não ser que, com a minha totalmente subjetiva subjetividade, consulte como anjos caídos na Terra.


11. Um bom lugar para fazer dedo são os postos de pedágio, postos de gasolina, em frente às estações da polícia andarilho.


12. Se você está no caminho no meio do nada mesmo, a 50 km de distância de qualquer coisa que pareça habitada por seres humanos, necessariamente, vou suspeitar e vou supor que alguém que você baixou lá porque não pôde resistir mais a sua presença.


13. Se você é um mochileiro fazendo dedo, é importante que você leve a sua mochila. Se você está com um saquinho de mão no meio do caminho, sem mochila, sem a aparência de estar viajando, necessariamente, vou supor que naquele bolsinho o que você tem é uma arma. E eu vou acelerar.


14. Não pense levar drogas (isso inclui desde maconha até drogas duras, passando por uma caixa de medicamentos para dormir sem receita médica, ou essas coisas). Me importa muito pouco a sua opinião sobre a necessidade de legalizar o consumo. Se me para a polícia, e estão droga e eu me como um problema, se sou claro: vou suicidar em sua presença. E com um grisín desafilado para que se doa mais.


15. Levei muitas pessoas que faziam dedo. Eu continuo sendo amigo de todos. É uma excelente maneira de aumentar o prazer da viagem. Faça com que seja um prazer viajar com você. Talvez até possamos providenciar para que a volta se passe a procurar por onde você está. Foi o que aconteceu.

Classifique esse post