Avançar para o conteúdo

Museu de Arte Murilo Mendes, em Juiz de Fora, comemora reconhecimento do Ibram

Museu de Arte Murilo Mendes em Juiz de Fora celebra certificacao do Ibram

Na região, diversos museus importantes como o Museu Regional de São João del Rei, a Pinacoteca da Universidade Federal de Viçosa, o Museu Histórico da UFV e o Museu de Ciências da Terra Alexis Dorofeev em Viçosa, já conquistaram o selo de “Museu Registrado”. Essa certificação é vista pelo Instituto Brasileiro de Museus como um reconhecimento institucional significativo, proporcionando uma valorização para esses espaços museológicos.

Museu de Arte Murilo Mendes em Juiz de Fora celebra certificacao do Ibram

O diretor do Mamm, Ricardo Cristófaro, ressaltou a importância do selo para a instituição. Ele mencionou que essa chancela confere um status especial, sendo um diferencial que possibilita a participação em editais para obter recursos e parcerias em programas nacionais e internacionais, além de facilitar o intercâmbio de exposições culturais.

Cristófaro destacou que o processo de profissionalização do setor museológico no Brasil tem sido impulsionado pelo trabalho do Ibram, estabelecendo normativas claras sobre o que define um museu e qualifica uma coleção como de interesse cultural. Essa padronização contribui para uma gestão mais eficaz dos museus, envolvendo a organização do espaço, a administração de recursos humanos, a avaliação de riscos e a preservação dos acervos.

O Museu de Arte Murilo Mendes, inaugurado em 2005 em Juiz de Fora, é um exemplo notável desse cenário. Além de abrigar o acervo bibliográfico e de artes visuais do poeta Murilo Mendes, o museu realiza diversas exposições e promove uma extensa programação cultural e educativa, mantendo vivo o legado do poeta.

O Mamm possui uma diversidade de acervos, incluindo a Biblioteca e Hemeroteca Dormevilly Nóbrega, bem como coleções ligadas à literatura, artes visuais e arquitetura. O museu mantém uma programação de exposições que exploram o acervo interno, com projetos de pesquisa e exposições focadas em artistas brasileiros de renome, como Farnese de Andrade.

Recentemente, foi implementado o “Museu Registrado” como um mecanismo da Política Nacional de Museus, conforme estipulado pelo Estatuto de Museus e regulamentação específica. O propósito é incentivar a formalização dos museus, acompanhando suas mudanças estruturais e administrativas.

Desde janeiro de 2017, o processo para obter o registro e o selo envolve o preenchimento de um formulário, a apresentação dos documentos necessários, e a submissão do pedido ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) ou à entidade local responsável pelo registro. Os benefícios proporcionados pela certificação incluem maior visibilidade nacional e internacional, compartilhamento de informações detalhadas, apoio na formulação de políticas públicas, adesão ao Sistema Brasileiro de Museus, preferência em situações de Interesse Público, e participação em oportunidades de fomento e reconhecimento.

Para mais detalhes sobre esse selo, confira uma reportagem do quadro “Diversão e Arte” que visita o Museu de Arte Murilo Mendes.